Follow by Email

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

UM ENCONTRO COM JESUS

UM ENCONTRO COM JESUS
“Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus. João. 9: 1-3.
Esse texto narra que Jesus estava caminhando com seus discípulos, quando viu um homem que era cego de nascença. E logo surgiu a indagação dos discípulos: “Mestre, quem pecou, ele ou seus pais para que nascesse cego?”
Uma concepção comum na cultura judaica desde o livro de Jó, o primeiro escrito da Tanak (a Bíblia judaica), e mesmo nos tempos de Jesus como podemos perceber pela pergunta dos discípulos, era a de que; todo defeito físico que causasse sofrimentos a alguém seria o resultado dos pecados cometidos por ele ou pelos seus pais.
Um texto que talvez nos possa indicar algum fundamento da concepção judaica de que a doença era resultado direto de pecado encontra-se em Mateus. 9: 2 quando Jesus ao vê a fé de alguns homens que trouxeram um paralítico para ser curado disse: “Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados”
De fato nem ele pecou nem seus pais pecaram, para que pudesse resultar na sua cegueira, porem, Jesus ensinou que nem toda deficiência é resultado do pecado e que naquele caso havia um propósito de Deus naquela cegueira. Jesus queria mostrar não só aquele cego, mas a todos nós mesmo enxergando bem, que possuímos uma deficiência que faz de nós dependentes de uma intervenção de Jesus para podermos cumprir os propósitos de Deus.
Tanto esse homem como todos nós temos um problema muito maior do que a cegueira visual, a cegueira espiritual, e Jesus queria mostrar aos seus discípulos que as obras de Deus só se manifestam na vida das pessoas através desse encontro com Ele, porque espiritualmente todos nós somos tão cegos quanto aquele cego de nascença.
Embora muitas pessoas afirmem terem sido participantes desse encontro com Jesus Cristo é conveniente ressaltar com alguns exemplos o engano que pode haver nessa afirmativa. O apóstolo Paulo preconizava que foi criado aos pés de “gamaliel, um doutor da lei, venerado por todo o povo” At.5: 34, e pelo que tinha aprendido com ele era um exímio conhecedor das escrituras judaicas, porém no primeiro encontro com Jesus ele foi privado da visão a exemplo dos olhos do cego de nascença para que na sua cura também fossem abertos os olhos do entendimento espiritual de Paulo. O Apostolo Paulo antes de conhecer Jesus Cristo ele fazia tudo para Deus com a maior dedicação, porém, sem entendimento como ele mesmo diz aos romanos que Israel “tem zelo de Deus, mas não com entendimento (Rm. 10: 2). Outro exemplo é o da igreja de Efésio como o Senhor Jesus se referiu ao comportamento dos seus membros. Eles diferentemente de Paulo já tinham a visão espiritual acerca de Jesus, então é de se supor que através dos apóstolos eles tinham recebido a revelação e tido o seu encontro com Jesus. Esse é o mesmo tipo de exemplo dos quais vemos em algumas Igrejas da nossa época. Fazem tudo da melhor maneira; procuram com o maior zelo construir suntuosos templos, com esforço buscam aumentar a quantidade dos membros e como a igreja de Efésio, não suportam a maldade da humanidade e até suportam provas pelo nome de Jesus. Quem olha assim diz que parece é a Igreja perfeita, mas eles tinham se esquecido desse encontro que tiveram com Jesus. E Ele disse aos Efésios: “Conheço as tuas obras, assim o teu labor como a tua perseverança e que não pode suportar os homens maus, e que puseste a prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança e suportastes provas por causa do meu nome e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Ap. 2: 2-4.
Não adianta alguém afirmar que já está totalmente curado da cegueira espiritual, porque é fácil perceber pelas obras que se manifestam neles se realmente são obras de Deus. Em João 6: 28-29, os discípulos “Dirigindo-se, pois a ele, perguntando: Que faremos para realizar as obras de Deus? Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta, que creiais naquele que por Ele foi enviado”. Nesse processo do encontro com Jesus necessita muita dedicação, perseverança e vontade de submeter-se ao seu senhorio. Em Lucas tem uma resposta de Jesus para alguns que afirmam crerem nele, mas as suas obras comprovam o contrário. “Por que me chamais: Senhor, Senhor, e não faz o que vos mando” Lc. 6: 46. Assim são aqueles que apenas acreditam em Jesus. Aquele que só acredita é tal qual aquele que nunca o viu, pois realmente nunca teve um verdadeiro encontro com Ele. Porém aquele que crer é diferente ele tem confiança em aceitar como verdadeiras as palavras de Jesus e verdadeiramente as pratica. “Todo aquele que vem a mim e ouve as minhas palavras e as pratica, Eu vos mostrarei a quem é semelhante. É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa, e não a pode abalar, por ter sido bem construída. Lc. 6: 47-48. Esse é aquele que crer; as suas obras são de fé e nada poderá move-las pois estão firmadas na rocha eterna que é Jesus Cristo.

sábado, 11 de dezembro de 2010

O CRISTIANISMO NUMA CONCEPÇÃO DIFERENTE

O CRISTIANISMO NUMA CONCEPÇÃO DIFERENTE
O significado do vocábulo cristianismo segundo alguns dicionários da nossa época, trata-se do conjunto das religiões cristãs baseadas nos ensinamentos, na pessoa e na vida de Jesus Cristo.
E citam três exemplos destas religiões como é o caso do catolicismo, do protestantismo e das religiões ortodoxas orientais.
Esse vocábulo cristianismo é derivado da palavra Cristo do grego que significa Ungido, como afirmou o apóstolo Pedro por revelação de Deus: “Tu és o Cristo(Ungido) o Filho do Deus vivo, Mt 16: 16. Além da palavra cristianismo que surgiu muito tempo depois da sua morte como um sistema de nominar todos aqueles que se agrupavam para aprender os ensinos de Cristo, ,surgiu bem antes deste por volta do ano 61dC. a palavra cristãos “Em Antioquia foram os discípulos pela primeira vez chamados cristãos. At. 11: 26b. No começo pela postura e o procedimento dos apóstolos esse termo significava um servo do Ungido de Deus ou um servo de Cristo. Hoje reivindicar o nome de “cristão” tem um significado muito mais importante, pois Cristo e sua Palavra revelada nas Escrituras são a autoridade suprema e única fonte de esperança futura. “Por causa da esperança que vos está reservada nos céus, da qual já, antes, ouviste pela palavra da verdade do evangelho, aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós esperança da glória; Cl. 1: 5,27.
É tão importante para milhões de pessoas conhecerem a essência do verdadeiro cristianismo, porque neste assunto está envolvida a espiritualidade do ser humano, tanto para edificação dos crentes quanto dos descrentes que buscam o conhecimento de Deus.
De antemão, convém ressaltar pela convicção que consta das Escrituras que a palavra cristianismo não trata de um conjunto de religiões, mas sim de uma única religião onde os requisitos expostos nos ensinamentos, na vida e obra do Senhor Jesus Cristo são exigidos como também são exigidos nos dicionários citados acima, porém há uma diferença tão grande entre o cristianismo e algumas das religiões citadas que jamais poderão ser medidas.
Existem quatro pilastras indestrutíveis inconfundíveis e inegociáveis sustentadas pelas palavras de Cristo e que distinguem as demais religiões do verdadeiro cristianismo. ”Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória é como a flor da erva, seca-se a erva e cai a sua flor; a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, essa é apalavra que vos foi evangelizada. 1Pe. 1: 24,25. Estas promessa de tudo o que o Senhor Jesus revelou na Bíblia permanece para sempre, essa é a fé que faz do Cristão diferente; um vencedor..
Primeira Pilastra- Só pode haver cristianismo verdadeiro com Jesus Cristo. Ele como único Salvador, Senhor e Mediador entre Deus e o homem. “E não há salvação em nenhum outro, porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. At. 4: 12. Por isso é que o Senhor Jesus Cristo é o único escolhido pelo Pai para nos salvar e não adianta procurar outro meio, porque Deus só aceita você ser salvo através de Jesus Cristo. “Por que me chamas de Senhor , Senhor, e não fazeis o que vos mando. Lc. 6: 46. Não importa a religião, se você não tem Jesus Cristo como o Senhor da sua vida para obedecê-lo por que o chama de Senhor, essa religião pode ser tudo menos cristianismo. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens Cristo Jesus homem, 1Tm 2:4,5. Por isso se afirma que existe um único cristianismo; o de Cristo. Foi dado exemplo no dicionário citado acima de religiões que nós sabemos terem milhares de intercessores mesmo contrariando a Deus quando Ele afirma que só há um mediador para falar com ele pelos pecados do homem Jesus Cristo. Essas religiões não respeitam a Palavra de Deus e sim os seus concílios me admira e me causa espanto como elas podem ser denominadas de cristãs?.Em Deuteronômio 18: 11,12, Deus fala que é abominação ao Senhor aquele que consulta os mortos. Guarde bem essa citação: “acaso não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? Is. 8: 19b.
Segundo Pilastra Só pode haver cristianismo verdadeiro através da Bíblia. A Bíblia é a Palavra de Deus e é o único manual como regra de fé e prática de vida do cristianismo. Sem a Bíblia como regra de fé e conduta a religião pode ser comparada a qualquer outra coisa menos cristianismo “Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e os propósitos do coração. E não há criatura que não seja manifesta na sua presença, pelo contrário, todas coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar conta. Hb.4:12,13. A Bíblia é a Palavra de Deus e é a única autoridade no mundo com poder para falar de Jesus Cristo. Na frente da Bíblia qualquer outro documento não contem valor nenhum de inspiração para ensinar repreender e corrigir ninguém “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão para a correção para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. 2:Tm. 3:16.
Terceira pilastra – Só pode haver cristianismo verdadeiro se houver transformação de vida. Se o homem não passou por Jesus Cristo para sofrer uma completa transformação de vida, e uma nova criatura não nascer no lugar do velho homem, podemos chamar essa religião de tudo menos de cristianismo. “E assim, se alguém está em Cristo é nova criatura, as coisas antigas jê passaram, eis que se fizeram novas. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 2Co. 5: 15,17. Hoje está muito em uso o costume do homem querer se garantir de qualquer jeito.Existe quem freqüenta duas ou três denominações, porém se encontram tão vazios como começaram. Quem preenche o coração do homem é Jesus Cristo e isso só acontece através do autentico cristianismo. “Se, pois o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres. Jo 8: 36.
Quarta Pilastra – Só pode haver cristianismo verdadeiro se houver prática de vida cristã. Ao nascermos novamente pela fé em Cristo recebemos de Deus o poder para andarmos em novidade de vida como está escrito; que a fé é dom de Deus e sem ela é impossível agradá-lo. “De fato sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxime de Deus creia que ele exista e que se torna galardoador dos que o buscam. Hb. 11: 6. Vemos que pela fé o Espírito Santo nos possibilita a resistirmos às tentações e vencermos nossas batalhas. Se não fora assim o Apostolo João não nos teria advertido: “Aquele que diz está nele também deve andar como ele andou 1Jo 2: 6. Não pode haver cristianismo sem prática de leitura Bíblica, pois nelas estão contidos os verdadeiros caminhos de vida. Jesus disse: “Examinais as Escrituras porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo não queres vir a mim para terdes vida. Jo 6: 39,40.
Esse trabalho não visa diminuir esta ou aquela denominação, o intuito é verdadeiramente comprovar pela Palavra de Deus o verdadeiro cristianismo, e não confundir as pessoas ao dizer que toda religião só por falar em Cristo é advinda do cristianismo. Vou deixar seis versículos como reflexão. “Portanto os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vos. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida por causa da justiça. Assim, pois, irmãos, somos devedores, não a carne como se constrangidos a viver segundo a carne. Porque, se vivermos segundo a carne caminhamos para a morte, mas, se pelo Espírito mortificardes os feitos do corpo certamente vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Rm 8: 8,9,10,12,13,14.

sábado, 4 de dezembro de 2010

PASSOS EM DIREÇÃO À SALVAÇÃO

PASSOS EM DIREÇÃO A SALVAÇÃO
À Salvação é o ato pelo qual alguém é salvo (ou escapa) de algum dano seja ele de qualquer natureza. Esé a concepção de salvação comumente usada pelas pessoas.
Quando falamos em salvação usando o conceito religioso cristão, a Bíblia é clara e indiscutível. Trata-se única e exclusivamente da manifestação da Graça de Deus, ou seja; é um favor imerecido oferecido por Deus ao homem alcançado unicamente pela fé em Jesus Cristo que em obediência ao Pai, se ofereceu como sacrifício vivo a Deus pela nossa justificação e o perdão dos nossos pecados. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Jo 3: 16.
A Graça de Deus é tudo o que provem livremente da sua vontade em benefício do homem e que lhe é concedida sem qualquer merecimento, ou em razão de alguma ação realizada por ele, mas advinda única e exclusivamente pela misericórdia de Deus. Portanto tudo o que o homem recebe de Deus é chamado de Graça
Não podemos nos enganar acerca do método divino da salvação, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus. Rm . 3: 23. Cremos que todos são nascidos em pecado e em si mesmos absolutamente incapazes de fazer alguma coisa boa sem o auxilio da graça divina.
Já no antigo Testamento o rei Davi afirma que a salvação é do Senhor: “Do Senhor é a salvação e sobre teu povo a sua benção”. Sl. 3: 8. O apóstolo Paulo explica em Efésios capítulo 2, que após a queda do homem por causa do pecado de Adão, nós todos morremos nos nossos delitos e pecados, porque passamos a fazer a vontade da carne e do pensamento, (Ef. 2: 3b) tornando-nos assim filhos da desobediência (Ef. 2: 2b)e pela natureza modificada também nos transformamos filhos da ira de Deus.(Ef.2: 3b). Mas Deus usando a sua misericórdia e a riqueza da sua graça para conosco em Cristo Jesus (Ef. 2: 7b nos salva mediante a fé em Jesus Cristo. “Porque pela graça sois salvos mediante a fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus, não de obras para que ninguém se glorie. Ef. 2: 8-9. O apóstolo deixa bem claro que a salvação é uma obra exclusiva de Deus, sendo alcançada unicamente pela graça mediante a fé no sacrifício do seu Filho Jesus Cristo através de queml recebemos a adoção de filhos de Deus. A graça que provem de Deus juntamente com a fé que também é um dom de Deus, opera no coração do homem para levá-lo a Cristo. Jesus disse:”Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o trouxer; e Eu o ressuscitarei no último dia”. Jo 6: 44.Para que não haja duvidas de que nós só conseguimos chegar a Cristo através de Deus e da sua Palavra,confira o que Jesus ensina através dos seguintes versículos: Jo. 6: 37,38,39,45,65. Jo. 17: 6,9,20,24. Jo. 18: 9.
Antes da revelação pessoal de Cristo ao mundo, João Batista cognominado de João batizador já anunciava a salvação e conclamava ao povo no deserto da judéia : “Arrependei-vos porque está próximo o reino dos céus”. Mt. 3: 2; e diz o texto nos versículos 5,6 que “saiam a ter com ele Jerusalém, toda a Judéia e toda a circunvizinhança do jordão e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados”. Mt. 3: 5. No meio de todo esse povo além daqueles arrependidos de coração sincero dispostos a serem transformados, havia arrependidos de todo tipo; o de falso arrependimento, o arrependimento por interesse o arrependimento por impulso sem nenhum propósito de salvação que visava exclusivamente fugir do juízo de Deus. Uma tentativa tão absurda que João Batista chegou a perguntar: quem vos induziu a fugir da ira vindoura? Jo.3: 7, e recomendou:”produzi, pois frutos dignos de arrependimento”. Mt 3: 8,pois “Já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo”. Jo. 3: 10.
Como podemos perceber através do exemplo de João Batista ninguém é salvo por cumprir normas, mas somente pela Graça mediante a fé em Jesus Cristo, e o meio para que se alcance esse objetivo está na ação de Deus através do seu Filho e do Espírito Santo no nosso coração. Não há como você ser salvo mesmo cumprindo todos os passos sem o agir de Deus em seu interior. ”Não de obras para que ninguém se glorie”. Ef. 2: 9. Convém ressaltar que o Apóstolo Paulo não está afirmando que nós não temos que praticar boas obras. Mas segundo o apóstolo as obras não levam a salvação, elas devem ser frutos de uma pessoa já salva. Jesus lhe salva e você produz boas obras. Paulo, obras como conseqüência da salvação são realizadas pelo Espírito Santo estas sim são aceitas por Deus. O apóstolo Tiago também em momento alguns falou que as obras salvam. O que ele quis dizer foi à palavra mostrar as boas obras pela fé para comprovar que a pessoa está salva Estas também são obras do Espírito Santo. Tiago obras como comprovação da salvação.
Análise os sete passos da Graça de Deus que nos levam a salvação e em qual deles precisou da nossa interferência direta.
A Convenção – É uma obra do Espírito Santo no coração daquele que houve a Palavra de Deus, seja através da evangelização, da pregação ou do ensino, quando o Espírito Santo lhe convence do pecado da justiça e do juízo: Jo 16: 8;.Todos se tornam capazes de aceitar os argumentos de que são pecadores, que Jesus cumpriu a justiça de Deus morrendo por todos estando à direita do Pai intercedendo por todos e do juízo da ira de Deus determinado para aqueles que não aceitarem a oferta de Deus através do seu Filho.
A Conversão - (Arrependimento) Em Romanos capítulo 2 versículo 4, está o que de melhor simboliza a ação de Deus no que diz respeito ao arrependimento humano. “Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é quem te conduz ao arrependimento. Rm 2: 4. Podemos perceber que a bondade de Deus leva o homem até a decisão pelo arrependimento, porem, Deus age pelo amor não forçando a natureza de ninguém ao arrependimento, mesmo porque quando o homem se arrepende foi conduzido por Deus a esta ação, porém quando isso não acontece é para que o homem jamais diga que não teve a mesma chance que todos tiveram. Portanto, Deus nunca será responsável pela condenação de ninguém, o próprio homem é responsável pela sua perdição.”Se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis”. Lc 13: 3.
A Fé – Fé é uma operação de Deus através do Espírito Santo, que ocorre através da Palavra de Deus quando ouvida. “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pala palavra de Deus”. Rm 10: 17. Esse dom e dado ao homem de acordo com autenticidade de cada arrependimento, por isso é que se encontra citado depois do arrependimento. ”Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia pregando o evangelho de Deus, dizendo: O tempo está cumprido e o reino de Deus está próximo; “arrependei-vos e crede” no evangelho”.Mc 1: 14,15. O arrependimento sincero é uma exigência antes do recebimento da fé para crer. A Fé esta contida na lista dos dons espirituais (1Co. 12: 9),visando um fim proveitoso dentre eles própria salvação. “Quem não crer será condenado” Mc. 16: 16.
A Confissão – É uma ação de Deus que move o homem pela fé na vida, na obra, na morte vicária e na ressurreição de Jesus Cristos em seu favor e por isso o homem deve confessar os seus pecados a Deus e aceitar o Senhor Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador “Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos serás salvo. Jesus através do seu sacrifício, “tornou-se o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão”. Hb. 3: 1b. “pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que no nome de Jesus se dobre todo joelho,nos céus na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor para glória de Deus Pai” Fp. 2: 9,10,11. Cumpre as novas criaturas renunciarem a vida de antes e até a própria vida física se necessário for para estar com Ele na sua vinda. ,Mt. 16: 25
A Justificação – Deus é quem justifica ou perdoa ao pecador em virtude do sacrifício de Cristo. “O pecador é justificado unicamente pela fé em Cristo. Pelas Escrituras a fé é a condição para a justificação “Sendo justificados gratuitamente, por sua graça mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs no seu sangue, como propiciação ,mediante a fé, para manifestar a sua justiça,por ter Deus na sua tolerância,deixado impune os pecados anteriormente cometidos: tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé independente das obras da lei Rm 3: 24,25,26 e28.
A Regeneração – Novo nascimento como é comumente chamada a regeneração é uma obra do Espírito Santo realizada no homem onde este experimenta uma mudança no coração. Essa ação torna o ser humano uma nova criatura cuja ação nós consideramos uma vivificação. A regeneração muda o nosso coração transformando o e fazendo-o retornar a imagem daquele que nos criou. “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados” Ef. 2:1. A melhor definição esta nas palavras de Paulo: “Se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. 2Co. 5:17.
A Santificação – Na santificação os sentimentos humanos são purificados pelo Espírito Santo, portanto separados do pecado e do mundo e conduzidos a um amor supremo por Deus. A santificação é sustentada por um grande número de passagens das Escrituras. “Sede santos porque Eu sou santo” 1Pe.1: 16. A perfeição cristã não é a santidade absoluta, pois só Deus a possui. O ser humano não consegue nem mesmo ser tão perfeito quanto aos anjos. Não estamos livres da tentação, neste mundo. Adão foi tentado até no paraíso. Não possuímos perfeição de conhecimento e podemos nos enganar. Há quem acredite que nós somos santificados na hora da morte. A idéia das Escrituras não é essa quando afirma que; nós somos libertados dos nossos inimigos e servimos a Deus “em santidade e justiça perante ele todos os dias da nossa vida”. Lc. 1: 75. Todos os filhos de Deus devem anelar pela santidade e extirpação de qualquer imundície, já que a santificação é requisito para entrar no céu. “Segui a paz com todos e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor” Hb. 12: 14.ta 

sábado, 27 de novembro de 2010

PORQUE AS COISAS MÁS ACONTECEM

POR QUE AS COISAS MÁS ACONTECEM
Durante esses três anos de seminarista eu nunca estive tão consciente do dever de manifestar a minha opinião sobre um assunto teológico. Não existe em mim nenhum outro pensamento a não ser o de glorificar a Deus e devotar aqui todo o meu sentimento de amor e gratidão pelo ato permissivo de Deus na minha concepção, pois me deu a oportunidade de conhecer um Deus tão maravilhoso, que me tem contemplado com sua maravilhosa graça e com a qual me tem sustentado segundo o propósito da sua vontade. Paulo afirmou: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Rm. 8: 28.
Quando o apóstolo Paulo se referiu “todas as coisas”, ele não estava se referindo somente as boas coisas como muita gente pensa. A afirmação “todas as coisas” também faz referências às coisas más. Tem gente que não admite como uma coisa má pode contribuir para o bem de alguém. Vejamos o caso de José que foi vendido como escravo e levado para o Egito. Ele tornou-se governador daquele reino e ao se revelar aos seus irmãos que o venderam usou as seguintes palavras: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida.” Gn. 50: 20.
Pensemos o quanto foi cruel o sofrimento de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele submeteu-se a esse sofrimento para que nós tivéssemos vida e vida eterna. Para Deus este foi um acontecimento necessário para o resgate das almas dos homens. Experimente com sua limitação humana medir o tamanho do amor de Deus para com os homens através dessa atitude; doar o seu único Filho para sofrer e morrer em nosso lugar para nos resgatar através da fé nele a vida eterna.
Deus não estava visando para a humanidade um bem material, pois por mais importante que seja um bem terreno, até mesmo um filho, esse não seria um bem duradouro para nós, pois terá um fim. O Senhor Jesus disse que tudo passará, (tudo na terra tem um fim predeterminado), porém a Sua Palavra jamais passará, pois nela está contida a maior promessa de Deus pra nós, a vida eterna.
Ao julgarmos a atitude de Deus sobre como se processam Suas ações permissivas com referência aos maus acontecimentos mundiais na nossa visão humana, primeiro não devemos nunca esquecer que Deus nos ama tanto que entregou o seu Filho primogênito, para morrer uma morte tão atroz e isso Ele fez visando o bem da humanidade.
Será que em nossa cegueira causada pelo pecado só conseguimos ver a vida numa perspectiva materialista, imediatista e terrena? Não há nesse invólucro falível e mortal que é o nosso corpo um espírito imortal que veio de Deus e que para Ele voltará como afirma o autor de Eclesiastes. “e o pó volte a terra, como era, e o espírito volte a Deus que o deu. Ec. 12: 7. No Evangelho de João, Jesus afirma que Deus é Espírito (Jo. 4: 24), como é que nós damos tanto valor à matéria que é o corpo e esquecemos que só podemos encontrar a Deus através do nosso espírito.
Pela visão espiritual vamos analisar os tais acontecimentos que chocam não só o mundo, mais até alguns teólogos que chegaram ao ponto de modificar os conceitos da onisciência de Deus como se o próprio Deus no Salmo 139: 2, 4, 16, não afirmasse que Ele penetra e sonda até o pensamento humano; que conhece até a palavra ainda não proferida pela nossa boca, que os Seus olhos nos vêem ainda informe dentro do ventre materno e que cada dia de nossa vida está escrito e determinado. Em atos dos Apóstolos 17: 24, está escrito que: “nEle vivemos e nos movemos e existimos”, e em Filipenses 2: 18, lemos: “Deus opera em nós tanto o querer quanto o efetuar”.
Que falta mais para confirmar a onisciência de Deus? Dizer o que Jesus falou: “que não cairá nem um pardal sem que Deus consinta e que todos os fios da nossa cabeça estão todos contados”. (Mateus 10: 29, 30).
Em qualquer tempo ou qualquer circunstância nós devemos estar preparados para o encontro com o Senhor Nosso Deus e se isso acontecer com pouca idade ou em idade avançada, estando com Cristo na morte considere isso; com Ele, mesmo a morte é a melhor dádiva que Deus tem para nós. Quem não quer viver eternamente e estar na esfera espiritual, eterna e imortal junto a Deus onde não há sofrimento nem dor.
Quanto às catástrofes mundiais, pense na morte como na colheita do joio e do trigo. Ali são ceifados o joio para queimar, mas também o trigo; seja os de ramos já amadurecidos ou os de ramos tenros, porém ambos os tipos de trigo irão para o celeiro de Deus onde Ele os guarda porque os ama.
Nunca conteste os desígnios de Deus.
Pr. Caubi Feitosa Santos

NÃO SE SURPREENDA APÓS A MORTE

NÃO SE SURPREENDA APÓS A MORTE
Na grande maioria as pessoas acreditam existir vida após a morte, mas, mesmo tendo a certeza disso jamais se preocupam em que condições irão desfrutá-la. O corpo não tem vida em si mesmo, mas o espírito, esse sim tem vida em si mesmo e faz com que o corpo tenha tanto o movimento físico como o raciocínio lógico. O espírito provém do sopro de Deus, portanto ele é eterno nunca morre. “Então formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra, e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida e o homem passou a ser espírito vivente”. Gênesis 2: 7., “e ao pó volte a terra como era, e o espírito volte a Deus, que o deu”. Eclesiastes 12: 7.
Deus fez o homem a sua imagem, conforme a sua semelhança para louvor da sua glória e coroa da criação. Concedendo ao homem o “livre arbítrio” sobre tudo o que foi criado, Deus também determinou que a obediência a sua vontade, seria o modelo de conduta para que o homem pudesse ter uma vida eterna ao seu lado. A desobediência resultaria no afastamento do homem de Deus e a condenação a morte eterna. Como o espírito é eterno essa morte significa sofrimento eterno. “E assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez e depois disso o juízo”. Hebreus 9: 27. “Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o “BEM” ou o “MAL” que tiver feito por meio do corpo”. 2Co. 5: 19”.
Mas esse “livre arbítrio” que dava ao homem o livre direito de fazer boas escolhas ele entregou a satanás quando escolheu desobedecer à vontade de Deus e assim tornou-se um escravo das más escolhas. O homem apartou-se de Deus e sem Ele tornou-se pecador, estando assim condenado a morte eterna. “Não há homem justo sobre a terra, que faça o bem e que não peque”. Eclesiastes 7: 29. “A ira de Deus se revela do céu contra toda a impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça, porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou”. Romanos 1: 18,19.
Então se todos pecaram, todos serão condenados? É essa a vontade de Deus para a humanidade? Não, essa não é a vontade de Deus para o homem, embora sabendo que nem todos serão salvos o seu desejo é que todos sejam salvos. “Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus e um Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos:” 1 Timóteo 2: 3.4.
Sabendo que o homem não faria bom uso do “livre arbítrio” e que por causa do pecado, por si mesmo ele não seria capaz de resgatar a comunhão que mantinha com Deus antes da queda, Deus unicamente por sua graça e não por merecimento humano estabeleceu que todos aqueles que cressem em Jesus Cristo Seu Filho e o aceitasse como seu único Senhor e Salvador seria salvo. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado. Porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus”. João 3: 16,17,18.
Por amor a humanidade Deus não poupou seu único Filho. Foi por amor que Cristo deixou a sua glória junto ao Pai para se humilhar até a morte de cruz e através daquele seu sacrifício pelos nossos pecados resgatasse a comunhão entre Deus e o homem. “Replicou-lhe Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Todo que comete pecado é escravo do pecado. O escravo não fica sempre na casa; o Filho sim, para sempre. Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. João 8: 34,35,36.
Agora tendo consciência do que nos espera após a morte só nos resta fazermos a escolha certa. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos e toda transgressão e desobediência recebeu o justo castigo, como escaparemos nós se negligenciarmos tão grande salvação?, a qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor Jesus, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram”: Hebreus 2: 2,3.

O SER DE DEUS

O Ser de Deus
Sem duvida alguma, o conhecimento de Deus é algo desejável. Os anseios da humanidade testificam isso. Mas seria isso possível? O conhecimento de Deus pode ser caracterizado em relação a sua fonte, o seu conteúdo e os seus propósitos. De onde veio, do que é formado e quais os seus propósitos. Todo conhecimento cientifico de Deus em suas diversas argumentações seja cosmológica, ontológica, antropológica e teleológica direcionam para os mesmos fins.
Existe uma força ativa, um Ser eteno, inteligente, moral, mais do que perfeito, único e poderoso que se comparando aos atributos do Ser dessas argumentações, com os atributos do Deus das Escrituras concluiremos que eles são idênticos.Através da criação do homem e da natureza (revelação geral), somos capazes de conhecer alguma coisa a respeito de Deus, sendo este um conhecimento limitado e que pode ser interpretado erroneamente.
Se Deus não tomasse a iniciativa de revelar-se ao homem por Si mesmo,nós não teríamos meios de conhecê-lo. 0 próprio Deus é a fonte do conhecimento que temos dele. Com certeza "toda a verdade é a verdade de Deus", por isto toda a verdade absoluta provém de Deus. Para nós, a única medida infalível para determinar a verdade é a Palavra de Deus.

PROMESSAS DE DEUS PARA ISRAEL

Promessas de Deus a comunidade de Israel
“Eis aí vem dias, diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com os seus pais, no dia que os tomei pala mão, para os tirar da terra do Egito; porquanto eles anularam a minha aliança, não obstante Eu os haver desposado, diz o Senhor”.
Na carta aos Romanos, Paulo mencionou que, um dia, todo o Israel será salvo (Rm. 11: 26). Geralmente analisar tal afirmação sem um profundo estudo das promessas de Deus para Israel, pode ocorrer riscos e distorções nas interpretações bíblicas, principalmente quando lemos o que Paulo também afirmou: “Mas agora, em Cristo Jesus, vos, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque Ele é a nossa Paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derrubado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu na sua carne a lei de ordenanças, para que dos dois (judeus e gentios) criasse em si mesmo um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.
Quando Jesus Cristo veio ao mundo foi para reconciliar o homem com Deus, começando primeiro pela casa unificada de Israel (Judá e Israel). Diz João que: “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” Jo. 1: 11-13.
O apóstolo João pela revelação do Espírito Santo está afirmando que Jesus veio primeiramente para os seus, (os judeus), mas que os seus não o receberam. Então os primeiros a gozarem do privilégio dessa reconciliação seriam todos os que nascessem da vontade de Deus. Jesus ensina que a vontade do Pai é: “E a vontade de quem me enviou é esta: Que nenhum Eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, Eu os ressuscitarei no último dia. João 6: 39.
Todos os que são nascidos da vontade de Deus, crêem em Jesus Cristo, pois Ele veio para fazer a vontade de Deus.”Porque Eu desci do céu não para fazer a minha própria vontade ; e, sim, a vontade daquele que me enviou”. Jo. 6: 38.
Então porque os judeus não creram? Como está escrito: Deus lhes deu espírito de entorpecimento, olhos para não ver e ouvidos para não ouvir, até o dia de hoje. Ora, se a transgressão deles redundou em riqueza para o mundo, e o seu abatimento para riqueza dos gentios, quanto mais a sua glória. Eles também, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados, pois Deus é poderoso para os enxertar de novo. Pois, se foste cortado da que, por natureza, era oliveira brava, e contra a natureza enxertado em boa oliveira, quanto mais não serão enxertados na sua própria aqueles que são ramos naturais. Porque não quero, irmãos que ignoreis este mistério, para que não sejais presumidos em vós mesmos, que veio o endurecimento em parte a Israel, até que haja entrado a plenitude dos gentios. Rm. 11: 8, 12, 23, 24 e 25.
Em parte Israel rejeitou Jesus Cristo, pelo endurecimento do entendimento até que se completasse a totalidade dos gentios. Paulo afirmou que: “Quanto ao evangelho, são eles inimigos por vossa causa; (salvação dos gentios)quanto, porém, à eleição, amados por causa dos patriarcas: porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. Rm 1 28-29. Deus jamais se arrepende da promessa feita.
Então vem o questionamento principal do tema: Deus vai proporcionar uma salvação diferente para Israel? Não. Está escrito em 1 Timóteo 2: 5 e Atos 4: 12 que só através de Jesus Cristo há salvação. “Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem”. “ E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”.
Deus tem propósitos determinados para outros seres, embora seu propósito para Israel e seu propósito para a Igreja recebam maior atenção das Escrituras. Exemplo: Ele estabeleceu um propósito para os anjos caídos, que de modo nenhum se confunde com Seus propósitos para Israel e para a Igreja. “Ora, se Deus não poupou a anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas reservando-os para juízo; 2 Pe. 2: 4. Ele também estabeleceu um propósito para aqueles que O rejeitarem, o qual também se distingue de outros propósitos. “O Senhor fez todas as coisas para determinados fins, e até o perverso para o dia da calamidade.
Embora o propósito de Deus para reconciliar os homens com Ele seja único e exclusivamente através de seu Filho Jesus Cristo, a Bíblia deixa muito claro que isso ocorrerá de maneira distinta; para gentios e para judeus (igreja e Israel). Promessas diferentes cumprimento em tempos diferentes. A primazia é da igreja de Cristo isto é: de todos aqueles que crêem no Filho de Deus o Senhor Jesus Cristo e o aceitem como único Senhor e Salvador. Aí não existe acepção de pessoa tanto gentios como judeus messiânicos estão incluídos.
Porém convém ressaltar que Israel faz parte de um propósito de Deus que será realizado através do próprio Jesus Cristo conforme promessas feitas antes da sua vinda. Vejamos então todas as promessas feitas por Deus quanto à salvação de Israel.
“Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel,depois daqueles dias diz o Senhor. Na mente lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor, porque todos me conhecerão desde o menor até ao maior deles diz o Senhor. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei. Assim diz o Senhor, que dá o sol para a luz do dia, e as leis fixas à lua e às estrelas para a luz da noite, que agita o mar e faz bramir as suas ondas; o Senhor dos Exércitos é o seu nome. Se falharem estas leis fixas diante de mim, diz o Senhor, deixará também a descendência de Israel de ser uma nação diante de mim para sempre. Assim diz o Senhor: Se puderem ser medidos os céus lá em cima e sondados os fundamentos da terra cá em baixo, também Eu rejeitarei toda a descendência de Israel, por tudo quanto fizeram, diz o Senhor. JR. 31: 33-37.
Mesmo depois dessas promessas feitas por Deus para Israel alguns vão questionar; Onde estar o novo encontro de Israel com Jesus Cristo já que eles o rejeitaram?
Vejam de quem é estas promessas: “Naquele dia procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém. E sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito de graça e de súplica; olharão para mim, a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito, e chorarão por Ele, como se chora amargamente pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém, como o pranto de Hadadrimom no vale de Megido. Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém, para remover o pecado e a impureza. Acontecerá, naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, que eliminarei da terra os nomes dos ídolos, e deles não haverá mais memória; e também removerei os profetas e o espírito imundo. Zc 12: 9-11 e 13: 1-2.
Os judeus vão receber de Jesus o espírito de graça e de súplica para reconhecerem em Jesus o Messias Salvador, aquele que eles rejeitaram.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

REFLEXÃO : NINGUEM PODE ESCONDER A VERDADE

REFLEXÃO: NINGUÉM PODE ESCONDER A VERDADE
Ao assistir pela televisão o programa Paz e Amor da TV Diário, fui surpreendido com as respostas da maioria dos ouvintes a uma enquete feita pela apresentadora para a seguinte pergunta: Os desastres que estão acontecendo tão freqüentemente na terra; como terremotos, maremotos, tempestades, ciclones e enchentes que chegam a ceifar muitas vidas são causados pela irresponsabilidade humana no trato com a terra ou é um aviso de Deus para que o homem ele reveja os seus maus procedimentos? Alguns responderam a primeira opção, outros a segunda opção e teve mais alguns que responderam que eram as duas ao mesmo tempo. Ninguém citou que os acontecimentos atuais já tinham sido profetizados pelo profeta Isaías, pelo menos 2.700 anos da nossa era, ou por falta de coragem ou porque leram e não entenderam. Vejamos então o que disse Deus através do profeta: Isaías no capítulo 24: 1-6; 17-23, 28: 16,17,20,22. 29: 6,13,18,19,20e21.
“Eis que o Senhor devasta a terra e desola a terra, transtorna sua superfície, e lhe dispersa os moradores. O que suceder ao povo, sucederá ao sacerdote; ao servo, como ao senhor; à serva, como à sua dona; ao comprador, como ao vendedor; ao que empresta como ao que toma emprestado; ao credor, como ao devedor. A terra será toda devastada e totalmente saqueada, porque o Senhor é quem proferiu esta palavra. A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha, enlanguescem os mais altos do povo da terra. Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violam os estatutos e quebram a aliança eterna. Por isso a maldição consome a terra, e os que habitam nela se tornam culpados; por isso serão queimados os moradores da terra e poucos homens restarão. Terror, cova e laço vem sobre ti, ó morador da terra. E será que aquele que fugir da voz do terror cairá na cova, e se sair da cova o laço o prenderá; porque as represas do alto se abrem e tremem os fundamentos da terra. A terra esta de todo quebrantada, ela totalmente se rompe, a terra violentamente se move. A terra cambaleia como um bêbado, e balanceia como uma rede de dormir; a sua transgressão pesa sobre ela, ela cairá e jamais se levantará. Naquele dia o Senhor castigará, do céu, as hostes celestes, e os reis da terra na terra. Serão ajuntados como presos na masmorra, e encerrados num cárcere, e serão castigados depois de muitos dias. A lua se envergonhará, e o sol se confundirá quando o Senhor dos Exércitos reinar no monte Sião e em Jerusalém; perante os seus anciãos haverá glória. Portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que eu assentarei em Sião uma pedra, pedra já provada, pedra preciosa, angular, solidamente assentada; aquele que crer não foge. Farei juízo a regra, e justiça ao prumo; a saraiva varrerá o refúgio da mentira e as águas arrastarão o esconderijo. Porque a cama será tão curta que ninguém se poderá estender nela, e o cobertor tão estreito que ninguém se poderá cobrir com ele. Agora, pois, não mais escarneçais, para que os vossos grilhões não se façam mais fortes; porque já ao Senhor, Deus dos Exércitos, ouvi falar duma destruição, e esta já está determinada sobre toda a terra. O Senhor disse: Visto que esse povo se aproxima de mim, e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu. Naquele dia os surdos ouvirão as palavras da Bíblia, e os cegos, livres já da escuridão e das trevas as verão. Os mansos terão regozijo sobre regozijo no Senhor, e os pobres entre os homens se alegrarão no Santo de Israel. Pois o tirano é reduzido a nada, o escarnecedor já não existe, e já se acham eliminados os que praticam a iniqüidade”.