Follow by Email

sábado, 27 de novembro de 2010

PORQUE AS COISAS MÁS ACONTECEM

POR QUE AS COISAS MÁS ACONTECEM
Durante esses três anos de seminarista eu nunca estive tão consciente do dever de manifestar a minha opinião sobre um assunto teológico. Não existe em mim nenhum outro pensamento a não ser o de glorificar a Deus e devotar aqui todo o meu sentimento de amor e gratidão pelo ato permissivo de Deus na minha concepção, pois me deu a oportunidade de conhecer um Deus tão maravilhoso, que me tem contemplado com sua maravilhosa graça e com a qual me tem sustentado segundo o propósito da sua vontade. Paulo afirmou: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Rm. 8: 28.
Quando o apóstolo Paulo se referiu “todas as coisas”, ele não estava se referindo somente as boas coisas como muita gente pensa. A afirmação “todas as coisas” também faz referências às coisas más. Tem gente que não admite como uma coisa má pode contribuir para o bem de alguém. Vejamos o caso de José que foi vendido como escravo e levado para o Egito. Ele tornou-se governador daquele reino e ao se revelar aos seus irmãos que o venderam usou as seguintes palavras: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida.” Gn. 50: 20.
Pensemos o quanto foi cruel o sofrimento de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele submeteu-se a esse sofrimento para que nós tivéssemos vida e vida eterna. Para Deus este foi um acontecimento necessário para o resgate das almas dos homens. Experimente com sua limitação humana medir o tamanho do amor de Deus para com os homens através dessa atitude; doar o seu único Filho para sofrer e morrer em nosso lugar para nos resgatar através da fé nele a vida eterna.
Deus não estava visando para a humanidade um bem material, pois por mais importante que seja um bem terreno, até mesmo um filho, esse não seria um bem duradouro para nós, pois terá um fim. O Senhor Jesus disse que tudo passará, (tudo na terra tem um fim predeterminado), porém a Sua Palavra jamais passará, pois nela está contida a maior promessa de Deus pra nós, a vida eterna.
Ao julgarmos a atitude de Deus sobre como se processam Suas ações permissivas com referência aos maus acontecimentos mundiais na nossa visão humana, primeiro não devemos nunca esquecer que Deus nos ama tanto que entregou o seu Filho primogênito, para morrer uma morte tão atroz e isso Ele fez visando o bem da humanidade.
Será que em nossa cegueira causada pelo pecado só conseguimos ver a vida numa perspectiva materialista, imediatista e terrena? Não há nesse invólucro falível e mortal que é o nosso corpo um espírito imortal que veio de Deus e que para Ele voltará como afirma o autor de Eclesiastes. “e o pó volte a terra, como era, e o espírito volte a Deus que o deu. Ec. 12: 7. No Evangelho de João, Jesus afirma que Deus é Espírito (Jo. 4: 24), como é que nós damos tanto valor à matéria que é o corpo e esquecemos que só podemos encontrar a Deus através do nosso espírito.
Pela visão espiritual vamos analisar os tais acontecimentos que chocam não só o mundo, mais até alguns teólogos que chegaram ao ponto de modificar os conceitos da onisciência de Deus como se o próprio Deus no Salmo 139: 2, 4, 16, não afirmasse que Ele penetra e sonda até o pensamento humano; que conhece até a palavra ainda não proferida pela nossa boca, que os Seus olhos nos vêem ainda informe dentro do ventre materno e que cada dia de nossa vida está escrito e determinado. Em atos dos Apóstolos 17: 24, está escrito que: “nEle vivemos e nos movemos e existimos”, e em Filipenses 2: 18, lemos: “Deus opera em nós tanto o querer quanto o efetuar”.
Que falta mais para confirmar a onisciência de Deus? Dizer o que Jesus falou: “que não cairá nem um pardal sem que Deus consinta e que todos os fios da nossa cabeça estão todos contados”. (Mateus 10: 29, 30).
Em qualquer tempo ou qualquer circunstância nós devemos estar preparados para o encontro com o Senhor Nosso Deus e se isso acontecer com pouca idade ou em idade avançada, estando com Cristo na morte considere isso; com Ele, mesmo a morte é a melhor dádiva que Deus tem para nós. Quem não quer viver eternamente e estar na esfera espiritual, eterna e imortal junto a Deus onde não há sofrimento nem dor.
Quanto às catástrofes mundiais, pense na morte como na colheita do joio e do trigo. Ali são ceifados o joio para queimar, mas também o trigo; seja os de ramos já amadurecidos ou os de ramos tenros, porém ambos os tipos de trigo irão para o celeiro de Deus onde Ele os guarda porque os ama.
Nunca conteste os desígnios de Deus.
Pr. Caubi Feitosa Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário