Follow by Email

sábado, 17 de dezembro de 2011

FÉ, CRER E SABER


*FÉ, CRER E SABER
TEXTO BÍBLICO
       “Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos”.
       “A saber: Se com a tua boca confessares o Senhor Jesus, e no teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo”. 
        “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação”. Rm. 10: 8-10.

INTRODUÇÃO
      
O Apóstolo Paulo no versículo 8 está fazendo três afirmações sobre a palavra da fé que ele pregava. Em primeiro lugar ele afirma que a Palavra deve estar sempre junto de nós, isto é, sempre o mais perto possível e o mais perto possível é a nossa mente, porque na mente ela lembrará sempre da nossa convicção cristã; em segundo lugar é que a Palavra deve estar na nossa boca pronta a ser confessada, pois a confissão é a prova do nosso arrependimento a respeito da salvação e a terceira afirmação é que a Palavra da fé também deve está no nosso coração para resultar na nossa justificação, pois a Palavra ouvida gera fé no nosso coração. No versículo 9 e versículo 10, as afirmações são as mesmas, só que o apóstolo usa a palavra crer em vez da palavra da fé.
       Muitas vezes encontramos a palavra crer sendo usada num sentido muito diferente do seu significado real.
       Certa vez; ouvi alguém pelo rádio pregando assim: você quer um exemplo do que significa a palavra crer?  Crer é quando eu me dirijo a uma parada de ônibus e tenho a certeza de que o ônibus vai passar por ali.  Vocês não acham que esse pregador esqueceu alguma coisa? É que ele não disse se já esteve ou não naquela parada de ônibus.
       Se ele já esteve ali sabe muito bem que o ônibus vai passar ali, não precisa crer, ele conhece o lugar. Isso se chama conhecimento ou saber. Mas se ele nunca esteve naquela parada e acredita que o ônibus vai passar por ali, é porque aceitou como verdadeiro o testemunho de alguém que lá esteve. Isso é o que se chama crer ou acreditar no que foi ouvido.
       Crer é ter fé no testemunho de alguém e ter certeza da realidade de algo desconhecido e que você nunca viu. Agora o saber, se baseia nas evidências dos nossos sentidos; nós vemos, nós ouvimos ou nós experimentamos.                                            

DESENVOLVIMENTO                                     
      
Assim como existe diferença entre crer e saber, a Bíblia também apresenta duas espécies de fé: uma é a fé teórica ou intelectual, que geralmente nós chamamos de crença e a outra é a fé salvadora. “Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados”. Rm. 2: 13.
       Nessa colocação o Apóstolo mostra claramente dois tipos de resultados. A fé daquele que só ouve a Palavra e a fé daquele que pratica a Palavra.
       Simplesmente crer nos fatos e nas doutrinas cristãs, não é o suficiente para a salvação das nossas almas, embora muita gente e muitos cristãos pensem assim.
       Se refletirmos por um momento, constataremos que um indivíduo pode teoricamente ser um dedicado ouvinte da Palavra de Deus, porém, na prática, deixa muito a desejar. Seu coração pode permanecer propenso a desobedecer a lei moral que está contida na Palavra de Deus. Essa simples crença não é melhor que a dos demônios e as Escrituras evidenciam este fato. Todos eles crêem e sabem que Jesus é o Cristo de Deus.  Eles crêem que só há um Deus; sábio, poderoso, gracioso em recompensar, porém justo em punir. Também crêem que Jesus Cristo é o filho de Deus e o salvador do mundo. Ouça o que um deles chegou a declarar sobre Jesus: “Que temos nós contigo Jesus Nazareno. Bem sei quem és: o Santo de Deus” Lc. 4: 34. Em uma outra passagem, mais um deles foi constrangido a dar um testemunho de Deus: “Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo”. At. 16: 17. Segundo o apóstolo Tiago irmão de Jesus, eles crêem a ponto de estremecer. Eles podem dizer que Jesus Cristo é o Salvador, porém a fé deles é a mesma daqueles que tem somente a fé teórica que só vão até ai. Agora poder dizer e tomar posse da afirmação de que Jesus Cristo é meu Senhor e meu Salvador, só os da fé prática e salvadora os verdadeiros cristãos podem dizer.
        Nós enumeramos três afirmações que nos dão um sentido de como adquirir uma fé prática e salvadora. A primeira afirmação foi de Lutero: Lutero diz que a vida cristã consiste de crentes possessivos, tem que tomar iniciativa para alcançar o objetivo. O cristão não pode ser conformado e acomodado com esse mundo, Lutero não se conformava com a doutrina da igreja quando esta se desviava das Escrituras. A segundo afirmação é de Paulo: Paulo afirma que, na fé salvadora, há todo um envolvimento do crente. Quando ele fala “com o coração se crer para justiça”, o coração é o comando de todo o corpo humano e na Bíblia ele é centro da personalidade da razão e da vontade, esse é um exercício da fé no homem interior. Esta fé é a fé salvadora e se torna realidade em nossas vidas quando nós ouvimos a Palavra de Deus e nos tornamos praticantes da mesma. E a terceira afirmação é uma afirmação de Jesus Cristo em Mateus 11: 12 que serve de recomendação para os que buscam a salvação: “os que se esforçam é que se apoderam do reino dos céus”. Esses que se esforçam são aqueles que ouvem a Palavra da Fé e se esforçam para praticarem assim como a ouviram.
       Como vemos na vida real, de nada adianta a teoria sem a prática, assim também na vida espiritual a Fé só é confirmada quando existe a Fé teórica e a Fé prática, ou seja; o ouvir e o praticar a Palavra de Deus. Só realmente se recebe o Senhor Jesus quando praticamos as duas atitudes.
 Em muitos textos bíblicos o verbo ouvir deixa de ser usado no seu sentido original que é o exercício de escutar para assumir outros significados como pôr exemplo: obedecer, praticar, exercer dentre outros. 
       “A fé vem pelo ouvir e o ouvir (praticar) pela Palavra de Deus”. Rm. 10:17. Ver em Deuteronômio 11:27, o mesmo significado para a segunda palavra ouvir, que Paulo emprega no versículo citado acima. “A benção, quando ouvires (praticares) os mandamentos do Senhor vosso Deus que hoje vos mando”. Só então, Jesus passa a ser tudo em nós, produzindo mudanças através de um novo viver, com novas atitudes, e exercendo em nossas vidas uma influência santificadora.
        Essa Fé salvadora, a morte e a encarnação do Filho de Deus já adquiriram para nós cristãos. “Cristo Jesus, a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda a iniqüidade, e purificar para si mesmo um povo exclusivamente seu, zeloso e de boas obras” Tt. 2: 14. Não nos contentemos somente com o conhecimento intelectual de Cristo. Devemos amar Jesus e reconhecer os benefícios que dele temos recebido. Não creiamos somente no fato dele ser o Filho de Deus e Salvador do mundo, mas dirijamo-nos a Ele pessoalmente pedindo-lhe graça e misericórdia. Alegremo-nos também com ele. Não o conheçamos somente de ouvir falar

CONCLUSÃO   
      
A nossa fé, portanto, não significa apenas concordarmos com o Evangelho de Cristo, mas ter no coração a plena confiança nos méritos de Sua vida, morte e ressurreição como único meio suficiente de nos remir da morte eterna, restituindo-nos vida e imortalidade, visto que Ele morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação.
       “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação”. Rm. 10:10. Encha seu coração de Jesus. A fé vem pelo ouvir, mas realmente ela se abriga no coração, e a boca confessa aquilo que o coração está cheio.
       A árvore da fé salvadora é conhecida pelos seus frutos, portanto “Tornai-vos, pois, praticantes da Palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos”. Tg. 1: 22.
       Esforcemo-nos para que a fé prática preencha nossas mentes e os nossos corações.
       


Nenhum comentário:

Postar um comentário